Just another WordPress.com site

Perder o emprego — quais são as soluções?


O que faria você se perdesse o emprego hoje? Preparar-se para tal possibilidade é o proceder sábio. perder o emprego causa um impacto tanto financeiro como emocional. Assim sendo, há mais coisas envolvidas do que o simples pagamento das contas. Seguem-se algumas linhas de orientação geral que ajudaram outros a manter-se financeira e emocionalmente estáveis, quando confrontados com a perda do emprego.

Não Entre em Pânico

Quando Dominick perdeu o emprego, ele teve de devolver sua casa ao banco e mudar-se com a família para a casa de sua mãe. Seu conselho é manter-se calmo, não importa quão extrema possa parecer a situação. “Quer tenha um emprego, quer não, você não vai definhar e sumir”, diz ele. “Para ser honesto, eu tive de aprender que não iríamos todos morrer por causa disso.” Em vez de encher a mente de cenários os mais fatídicos possíveis, empenhe-se calmamente em busca de soluções produtivas.

Pense Positivamente

Jim e Donna têm, somados, quatro empregos de tempo parcial. No entanto, ganham menos do que Jim sozinho ganhava em seu anterior emprego. Apesar disso, encararam tal situação como lição para seus cinco filhos. Donna declarou: “Sem tais problemas, eles estavam em melhor situação material. Mas, eles desconheciam as armadilhas que nos ensinam a viver.”

Abra a Mente Para Novos Tipos de Trabalho

Mesmo funcionários de colarinho branco podem escolher mudar de profissão e começar uma nova atividade. “As pessoas não consideram as alternativas senão quando obrigadas a fazê-lo”, disse Laura, que foi despedida de um emprego administrativo. “Nos anos 90”, comentou ela, “as pessoas têm de aprender a ser mais flexíveis”. Tentar obter o mesmo tipo de emprego a que você está acostumado — ou o mesmo salário — somente poderá diminuir suas probabilidades de conseguir emprego. Isto poderá, pelo menos parcialmente, explicar por que, com freqüência, os funcionários de colarinho branco levam mais tempo para conseguir emprego do que os de colarinho azul. Assim, abra a mente diante da possibilidade de novos tipos de trabalho. Muitos tiveram êxito em oferecer-se a prestar algum tipo de serviço a outros, tal como o de fazer faxina doméstica.

Cuidado com as Compras a Crédito

Um cartão de crédito pode ser muito vantajoso, mas também pode ser sua maior desvantagem. Alguns utilizam o cartão de crédito como muleta. Utilizam-no para evitar por completo ter de confrontar-se com a pergunta: ‘Está ao meu alcance?’ O cartão de crédito torna-se um analgésico que lhe permite gastar sem refletir e sem sentir os efeitos de perder dinheiro.
Nos anos recentes, muitos países se viram envolvidos numa virtual mania de cartões de crédito. Quais os resultados? Um vendedor de computadores da Coréia, que comprou um carro novo com um cartão de crédito, resumiu o assunto: “Quando chega a hora de cobrir meu crédito, eu sempre me sinto muito mal. É simplesmente como se eu jogasse dinheiro fora.” No Japão, quase a metade de todos os que procuram aconselhamento financeiro estão na faixa dos 20 e poucos anos. Os 140 milhões de cartões de crédito naquele país são os principais responsáveis pelas enormes dívidas dos jovens.
Assim, cuidado com o cartão de crédito. Utilize-o, mas não permita que ele o domine. Não permita que o deixe cego à sua real condição financeira. Isto somente agravará o stress de perder o emprego.

Mantenha a Família Unida

Numa pesquisa feita entre 86.000 pessoas, mais de um terço delas disseram que o dinheiro era o problema número um em seu casamento. Outro estudo comprovou que o dinheiro causava a maioria das brigas. “Atitudes conflitantes para com o dinheiro podem causar tensão nos relacionamentos”, declarou a consultora financeira Grace Weinstein.
Até um casal aparentemente bem unido pode nutrir conceitos amplamente diferentes sobre o dinheiro e como deve ser gasto. Um deles pode ser um poupador fanático e outro um voraz gastador.
Se não forem discutidas, as questões de dinheiro podem avolumar-se ao ponto de provocarem brigas.

Conserve Sua Auto-estima

Grace Weinstein comentou: “No caso do homem ou da mulher que não mais tem renda própria, existe o problema emocional do status diminuído e da independência reduzida, ambos resultando na perda da auto-estima.”
Não conclua precipitadamente que foi demitido por não ser um bom funcionário. Rani, de 29 anos, foi demitida apenas três semanas depois de obter o maior aumento possível de salário, no reajuste anual. Embora ser um funcionário honesto e digno de confiança possa impedir que o indivíduo seja demitido, isto nem sempre acontece. Assim, a pessoa não deve considerar sua demissão como afronta pessoal à sua dignidade. É possível que funcionários valiosos e fidedignos também sejam demitidos.

Elabore um Orçamento

Muitos se ressentem da idéia de elaborar um orçamento. Acham que isso representa certa limitação, algo que os impede de comprar o que desejam. Não é bem isso. O orçamento é um instrumento que o ajudará a atingir seus alvos, e não uma restrição. É simplesmente um sistema de controle, um plano pormenorizado que lhe dirá onde seu dinheiro será empregado e como fazê-lo ser empregado naquilo que você deseja.
Surpreendentemente, muitos não têm idéia alguma de onde seu dinheiro está sendo gasto. Antes, tornam-se vítimas do impulso de comprar e então lamentam-se: “Onde é que foi todo ele?” A necessidade de evitar tais gastos é especialmente importante quando os tempos são difíceis, em sentido financeiroPara seguir este conselho, faça um registro. Anote tudo que gasta num mês inteiro, discriminando suas despesas por diferentes categorias. Também, registre quanto dinheiro recebe. Se verificar que mais está saindo do que entrando, examine suas despesas para encontrar a fonte do problema. Uma vez saiba quanto gasta e em que o gasta, poderá ter controle sobre suas finanças.
Seja flexível em seu orçamento. Nos primeiros meses, poderá descobrir erros, e algumas despesas podem ser despercebidas. Faça ajustes e correções até que o orçamento se enquadre em suas necessidades. Um bom orçamento será assim seu escravo, e não seu amo.
As orientações gerais acima talvez ajudem a pessoa a sobreviver a um período de desemprego. Mas, para serem eficazes, estes pontos têm de ser equilibrados com uma avaliação correta da verdadeira importância do dinheiro. BOA SORTE !!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s